Refrigeração Comercial e Industrial em evidência na ABRAVA

Substituição de fluidos refrigerantes, dados mercadológicos, capacitação, tributação, normalização são assuntos em pauta na ABRAVA

Os Departamentos Nacionais de Refrigeração Comercial e Industrial da ABRAVA – Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento estiveram reunidos na sede da associação e traçaram novas metas e objetivos para os setores representados. Participam dos Dns empresas da indústria, comércio e serviços.  O objetivo dos grupos é trabalharem em prol ao setor representado com pautas de interesse comum, como mapeamento do mercado de atuação, tributação, substituição de fluidos refrigerantes, normalização, qualificação de mão de obra, entre outros assuntos.

Para Adhemar, presidente do DNRI, “A ABRAVA e particularmente o Departamento Nacional de Refrigeração Industrial é o local e o ambiente ideal para as diversas empresas do segmento de Refrigeração Industrial debaterem as pautas e os desafios e as que sejam de interesse comum”.

Na pauta do DN Refrigeração Industrial, a posse da nova diretoria, Adhemar J. Magrini Liza da Johnson Controls como presidente e na vice-presidência Silvio Guglielmoni da Mayekawa do Brasil. Durante o encontro foram discutidos diversos tópicos, entre eles, a decisão pela realização de uma pesquisa com empresas da área de refrigeração industrial que servirá de base para elaboração do plano de ação do grupo, assim como a definição de prioridades e metas a serem cumpridas. Participaram da reunião realizada na sede da ABRAVA representantes das empresas, Johnson Controls, Mayekawa do Brasil, Danfoss do Brasil, Imbera Evapco e Emerson Climate. Ficou definido à princípio que os encontros serão mensais.

Para Eduardo Almeida, diretor da Bitzer Compressores e presidente do DNRC, a retomada do grupo permitirá novos diálogos sobre assuntos bastante relevantes como eficiência energéticas e fluídos refrigerantes com menor impacto ambiental, criando subsídios para ABRAVA levar um posicionamento bastante claro do setor para os órgãos governamentais.

Na reunião do DN Refrigeração Comercial diversos assuntos estiveram na pauta do último encontro, entre eles: a retração econômica brasileira e o impacto no setor nos últimos anos; tendências para os próximos anos; uma nova sistemática de elaboração de dados de mercado visando a geração de um indicador eficiente dentro das normas e compliance da associação; busca de novas empresas para o fortalecimento do grupo; definição do processo do certificado de similaridade e sua sistemática; Fluidos Refrigerantes, refrigerantes ecológicos , hidrocarbonetos , normas e tendências; entre outros assuntos. O próximo encontro ficou pré-agendado para o mês de julho.

 

Sobre a ABRAVA

 A ABRAVA – Associação Brasileira de Refrigeração, Ar-condicionado, Ventilação e Aquecimento – é uma associação sem fins lucrativos que representa quatro setores da economia, cujo faturamento previsto para 2018 será da ordem de R$ 30,5 bilhões, compreendendo toda a cadeia com a indústria, comércio e serviço. Gera cerca de 250.000 empregos diretos e indiretos. Baseada na Engenharia, entre as temáticas abordadas na ABRAVA estão: Eficiência Energética, Meio Ambiente, Sustentabilidade, Qualidade do Ar, Normalização, Capacitação, entre outros temas.

Uso correto de fluido refrigerante garante melhor desempenho do ar-condicionado inverter

R-410 é o produto mais indicado e deve ser instalado de forma cuidadosa

Com um sistema de funcionamento distinto dos equipamentos de ar-condicionado convencionais, o equipamento do tipo “inverter” também exige atenção especial com relação ao fluido refrigerante para que ele possa oferecer um desempenho de climatização e consumo de energia mais satisfatórios.

– Na maioria dos casos, opta-se pelo R-410 A, que, tecnicamente falando, e comparando com os aparelhos comuns, tem uma pressão de trabalho bem superior. Este fluido só pode ser utilizado em sistemas projetados para ele. A especificidade do “Inverter” exige, ainda, o uso de ferramentas inerentes para a sua instalação – explica o CEO da RLX, Ramon Lumertz.

O principal cuidado que o técnico deve ter é aplicar o R-410 em fase líquida, com o cilindro de cabeça para baixo. Por tratar-se de uma mistura entre dois elementos, desta forma o fluido mantém as suas características originais e sua fórmula equilibrada no processo de transferência de um recipiente para outro.

Tubulações expostas ao sol podem prejudicar funcionamento do ar-condicionado

Excesso de calor afeta a pressão do fluido e pode sobrecarregar o compressor

As tubulações do aparelho de ar-condicionado quando expostas ao sol podem causar prejuízos para os equipamentos. Isto ocorre porque a radiação solar aquece os tubos e influencia na pressão da linha, dificultando o processo de troca de calor.

– A temperatura excessiva gerada pela exposição ao sol afeta a pressão do fluido, oferecendo risco de danificação no sistema com sobrecarga do compressor e superaquecimento do equipamento – explica o CEO da RLX, Ramon Lumertz.

A orientação, portanto, é optar por lugares à sombra, pois desta forma, o fluido mantém as condições ideais para o funcionamento do ar-condicionado e garante maior vida útil ao aparelho.